top of page
Buscar

Educação ambiental através do mergulho e contato com a natureza

O Projeto TransforMAR é executado desde 2018 pela organização sem fins lucrativos ‘Associação Tatauga Dive’. É uma estratégia de transformação social através da educação ambiental e traz visibilidade a conservação do ambiente marinho através de educação inovadora. Como reconhecimento, o TransforMAR recebeu o endosso da UNESCO como um projeto da Década da Ciência Oceânica para Desenvolvimento Sustentável da ONU. O projeto também é um hub da Sustainable Ocean Alliance, organização internacional de jovens líderes que trabalham em prol do oceano.

A iniciativa é única no país, com o intuito de despertar e incentivar a educação ambiental em jovens de escolas públicas da zona costeira através do contato com a natureza e do mergulho com cilindro.


Projeto social

O Brasil apresenta grande desigualdade social e por falta de investimento na educação, o ensino público apresenta grande defasagem quando comparado a rede privada.

Estudantes de classes sociais menos favorecidas que tem um déficit na educação, ficam marginalizados em relação a outros tipos de classe, pois por sua condição não conseguem acesso à educação de qualidade, e sem educação perdem também acesso ao capital cultural, assim, sua formação como indivíduo pertencente a uma sociedade torna-se deficitária e o processo de segregação e desigualdade se perpetua.

Esse projeto é o que chamamos de socioambiental, no qual mesclamos a temática do meio ambiente com o contexto social. As comunidades tradicionais da zona costeira, utilizam majoritariamente a rede de ensino pública e temas como sustentabilidade e preservação ambiental são muito pouco ou não tratados. Essas comunidades dependem do oceano e dos ecossistemas costeiros para o sustento e alimentação, logo, são severamente impactadas quando o meio ambiente e o oceano são agredidos, porém o acesso a esse conhecimento é muito pouco transmitido a eles.

O projeto oferece esse curso e experiência para jovens em situação de vulnerabilidade social, contidos na parcela da sociedade que não tem acesso a esse tipo de conteúdo, provocando e apoiando os estudantes a transformar seu ambiente em busca de uma sociedade justa, igualitária e com padrões de consumo sustentáveis; estimulando o olhar crítico sobre a atuação do ser humano no ambiente costeiro e discutindo alternativas que possam geram desenvolvimento às comunidades locais. Mostrando que o desenvolvimento da região está atrelado a preservação do meio ambiente e que atividades predatórias podem ser substituídas por atividades sustentáveis.

Esses jovens possuem o poder de ação, então o projeto exalta todo o potencial transformador que eles possuem, criando uma sociedade preocupada com a saúde do oceano e dos ambientes costeiros.


Como o projeto atua

Partindo do princípio de que só preservamos aquilo que conhecemos e quando compreendemos todas as interações e impactos gerados, o projeto apresenta um conteúdo de meio ambiente e biologia marinha e aponta o que precisa ser preservado e por que preservar.

Através da teoria, prática e imersão no ambiente costeiro, o projeto foi desenhado para levar conhecimento de uma forma divertida, inclusiva e gerar uma forte experiência.

O projeto aborda conhecimentos diversos de biologia marinha, meio ambiente, cultura oceânica e sustentabilidade; esse aprendizado de excelência é pautado na ciência, sendo um complemento a educação formal. As aulas expositivas ocorrem ao ar livre, em ambientes costeiros como praias e manguezal; o contato com a natureza propicia a percepção do ambiente, em que os estudantes vivenciam em tempo real a inter-relação do próprio ecossistema, além da compreensão dos impactos das ações antrópicas no ambiente.

No decorrer das aulas são realizadas dinâmicas, atividades e rodas de discussão que estimulam a criatividade, interatividade e trazem motivação. Fazendo com que o conhecimento seja incorporado de uma maneira diferente.

Além dos estudantes se tornarem ‘embaixadores do oceano’, através da proposição de projetos de educação ambiental para a escola ou comunidade, em que aplicam os conhecimentos de sustentabilidade para criar relações econômicas sustentáveis; o projeto impulsiona a disposição dos jovens em contribuir com a preservação do meio ambiente.

Como ápice do curso, o projeto oferece a experiência marcante do mergulho guiado com cilindro, acreditando que essa vivência atípica e impactante tem o poder transformador. Essa imersão causa a sensação de pertencimento, eles se sentem como parte do todo e esse envolvimento é fundamental para que os jovens assimilem os assuntos apresentado de forma única, para que sejam capazes de reproduzir o que aprenderam.

Embora os estudantes vivam na zona costeira, o mergulho é uma atividade que não é acessível para eles. Logo, essa prática diferenciada, desperta uma nova visão de mundo e desenvolve o interesse genuíno pelo conteúdo e contribui para a fixação de tudo que foi debatido.


Resultados

O projeto está em sua 6ª edição e contou com a participação de mais de 200 estudante que desenvolveram 6 microprojetos de sustentabilidade na comunidade; um desses projetos foi o desenvolvimento do podcast “Conecte-se Paraty” disponível no spotify, abordando temas de sustentabilidade e empreendedorismo social

Foram realizadas também ações de limpeza de praia e da área de manguezal e remoção de espécie invasora (coral-sol); em breve ocorrerão ações de restauração de ecossistema e o projeto lançará um e-book e curso online sobre cultura oceânica, que não terá custo para as escolas públicas.



Texto por Giovanna Scagnolatto - coordenadora geral do projeto.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page